Sharing by Isabel dos Santos

PT EN
by Isabel dos Santos

O que muda com a Digitalização?

Bloomberg Forum

A digitalização significa mudança, velocidade, conectividade, economia em tempo real, futuro. E esta transformação está apenas a começar. À medida que a digitalização avança, as implicações para os negócios, cidades e para as nossas vidas serão imensas.

Os avanços tecnológicos estão a trazer mudanças profundas no mundo. Em 1997, existiam apenas 700 mil robots na indústria; hoje contam-se 1,8 milhões e, no próximo ano, já serão quase 3 milhões de robots. Não há como evitar: a inteligência artificial é já uma realidade e as empresas devem estar conscientes desta viragem. O grande desafio passa a ser como tirar partido da digitalização e incorporar com sucesso esta transformação em modelos de negócios e em indústrias mais tradicionais.

Impulso às economias

Estudos recentes demonstram que os empresários estão a reconhecer a importância da inteligência artificial. 72% dos empresários acreditam que a digitalização será mesmo uma vantagem para os negócios e que irão recorrer à inteligência artificial para a resolução de problemas; 54% afirmam que já conseguiram aumentar a produtividade; 64% acreditam que a inteligência artificial representa novas oportunidades de emprego. Eu acredito nesta força transformadora. A digitalização está a dar um verdadeiro impulso às economias de todos os continentes, incluindo África, e tem um efeito multiplicador por onde passa.

Mais produtividade

Graças à digitalização, a produtividade dispara, ao mesmo tempo que descem drasticamente os custos para as empresas e indústrias, com benefícios para todos, incluindo consumidores. O comércio online, por exemplo, está a trazer um aumento de receitas em 30% e a reduzir os custos na mesma proporção. As campanhas de marketing serão cada vez mais direccionadas para os nossos interesses particulares.

Na indústria, a transformação digital permite que as máquinas possam trabalhar quase sem interrupções, proporciona um consumo inteligente de energia e um registo e monitorização em tempo real de todos os processos. Por outro lado, os trabalhadores podem abandonar as tarefas mais repetitivas e mecânicas e abraçar desafios mais estimulantes na cadeia de produção. A produtividade aumenta e o erro humano é cada vez mais limitado. E até no nosso quotidiano há grandes mudanças a caminho. Podemos ter como exemplo deste processo de digitalização a taxa de acidentes de viação que poderá descer até 98% nos veículos sem condutor.

Novas aptidões

Novas formas de trabalhar vão emergir, passando a estar mais focadas nas aptidões comportamentais e nos conhecimentos tecnológicos. A análise, a capacidade de ler o mundo, de prever desafios e desenhar respostas estarão para sempre do lado do Homem. Para sobreviver a esta revolução digital devemos estar preparados para a aceitar, reconhecendo os seus desafios e dificuldades, mas sobretudo estar aberto à mudança.